nov 26 2009

[Matéria] Entrevista ao Vírgula – WebRadio FM – 25/11/2009

Category: Sem categoriaAndrews F.G @ 1:03
Uma entrevista dada esses dias para o site do Vírgula, o WebRadio FM foi pro ar. Ela fala sobre os preparativos para a edição do show do Rio. Pode ser conferido no site, pelo link:
https://webradiofm.virgula.uol.com.br/noticia.php?noticia=1524&radio=38

Projeto Rain Down segue a todo vapor – 25/11/2009

Se você é aficionado por música e tecnologia, já deve ter ouvido falar do Projeto Rain Down. Senão, é melhor prestar atenção no trabalho solitário do webdesigner paulistano Andrews Ferreira Guedis, fã do grupo britânico Radiohead, que resolveu pôr em prática uma proposta ambiciosa: reunir vários vídeos feitos por fãs durante a passagem da banda pelo Brasil, em março de 2009, no Just a Fest, e fazer um DVD do show. Ele editou as imagens capturadas por diversas câmera

s, de diferentes megapixels e em diferentes posições em relação ao palco e conseguiu recriar todos os momentos das mais de 2 horas de show em São Paulo. Depois disso, compilou tudo em um arquivo e disponibilizou, para os fãs de São Paulo e do mundo, esse registro emocionante que, de certa forma, abre portas para novas formas de compartilhamento na internet. Sem ganhar um centavo por isso.

Agora, o Projeto Rain Down – que tem esse nome em homenagem ao momento em que grande parte do público cantou, à capella, o trecho “rain down, rain down, come on rain down on me”, da música “Paranoid Android” – segue para a próxima etapa: repetir o processo e documentar o show que rolou no Rio de Janeiro. Ainda em estágio inicial, Andrews está cuidadosamente selecionando os vídeos e catalogando todos eles.

Conversamos com o rapaz para saber sobre o andamento do projeto, as dificuldades e o que ele espera do produto final. Confira:

Você esteve no show do Rio?

Infelizmente não estive presente no show do Rio. Por muito pouco não vou ao show de São Paulo (me faltou dinheiro para comprar o ingresso) e com certeza seria o maior arrependimento da minha vida.

Como surgiu a ideia de editar o show do Rio também? Você espera que faça o sucesso que o de São Paulo fez?

Lendo alguns e-mails que recebi após o lançamento do primeiro DVD de São Paulo. Muita gente falava da emoção do show do Rio e pediam para que eu continuasse nas edições. Após o lançamento do primeiro DVD, eu não queria pensar em editar mais nenhum vídeo, já que me renderam longos meses de trabalho. Deixei o tempo passar para tomar essa atitude de continuar e dar o toque final para a passagem do Radiohead no Brasil e estou bastante empolgado. Acredito que haverá uma grande procura sim, não creio que será como o show de SP, mais acredito que se você foi no show do Rio irá gostar de rever aqueles momentos. Eu dependo dos fãs para qualquer retorno neste sentido.

Você demorou um tempão pra concluir a edição do show de SP. Você também disse que o trabalho todo era feito no seu computador doméstico. Acha que agora tem know-how para editar mais rapidamente?

Sim, por vários motivos. No começo eu contava com várias dificuldades técnicas no meu PC. Levava horas ou dias para deixar as coisas organizadas no seu lugar. Às vezes faltava tempo, até faltava espaço pros vídeos no computador, mas sempre tive a paciência de esperar o melhor resultado para tudo que estava fazendo e tinha o incentivo de muitas pessoas para continuar.
Dessa vez consigo fazer tudo de forma rápida e organizada, mesmo usando o meu computador de casa ainda, vou editar algumas coisas num notebook e claro, eu estou mais experiente, creio que o resultado será bem interessante.

Esse trabalho todo deve ter consumido dinheiro também. Você recebeu alguma ajuda financeira dos fãs do Radiohead?

Sim, tive despesas para manter o site do Rain Down no ar e com inúmeros dvds para armazenar os vídeos. Recebi ajuda de alguns fãs, que pagaram uma boa parte destes custos, uns 150 reais.

Existem outras bandas que você também gosta, não? Você pensa em estender esse projeto além dos shows do Radiohead?

Sim, gosto de muita coisa, existem bandas muito marcantes para mim além do próprio Radiohead. Pretendo estender o projeto e a ideia em si para outros fins. Quem sabe um show de outra banda grande que passe por aqui ou até um projeto voltado para boas bandas desconhecidas. Tenho minha banda (Refink) trabalhando a mil por hora também. Queria unir música, vídeo e pessoas, é isso que me comove, e tenho estado otimista para realizar várias coisas depois desse retorno positivo do Rain Down.

É uma coincidência que um projeto como o Rain Down surja a partir do show de uma banda como o Radiohead, que não costuma utilizar os meios mais convencionais de lançar e divulgar seus trabalhos?

Acho que encabeçar um projeto desses com um grupo que nem o Radiohead me deu mais segurança e incentivo do que qualquer outra banda. O lançamento do “In Rainbows” foi um marco para mim. Anterior a este projeto tinha participado de uma edição de shows do Nine Inch Nails, da qual não consegui dar muito andamento. Esse é um outro nome muito importante que está mudando a forma de distribuir música nos dias de hoje.

No seu blog você diz que, após concluir a edição do primeiro show, você sentiu que deveria editar o segundo também, pra preencher uma lacuna. Tem ideia de como vai se sentir quando o projeto estiver, de fato, concluído?

Por ter editado cerca de 2 horas de material e colocado nos extras apenas 6 músicas executadas no Rio, senti que fiz injustiça ao dizer que não editaria esse show inteiro. Essa lacuna foi me chamando a atenção depois que dei uma descansada das edições. Realmente será uma longa jornada, e quando acabar, poderei encher o peito e dizer que a minha missão está cumprida. A passagem do Radiohead no Brasil eternizada por centenas de fãs e suas câmeras irá se espalhar pelo mundo inteiro com o poder da internet, de forma livre e colaborativa. De fãs para fãs.

Obrigado Marina Alves pelo espaço concedido novamente no Vírgula para falar sobre o Projeto Rain Down.